Educação Financeira

Educação Financeira

Hoje iremos abordar algo muito importante para a vida das pessoas que é a educação financeira.

Aristóteles já dizia que “A Educação tem raízes amargas, mas seus frutos são doces”.

Com o passar dos séculos, a educação foi se tornando algo fundamental para a prosperidade da sociedade e a garantia de um futuro melhor para todos. Fomos acostumados desde muito cedo a estudar e a desenvolver tanto a educação formal (matemática, física, biologia), quanto a informal (educação social, educação emocional). Nos parece muito normal estudar sobre todo o tipo de assunto menos sobre as nossas finanças.

É neste ponto que aparece a educação financeira.  Durante a vida, aprendemos a fazer cálculos rápidos, somos instruídos a como interpretar e escrever textos, porém conhecemos pouquíssimo sobre como se educar financeiramente. Ironicamente, vamos lidar com o dinheiro desde a juventude até os nossos últimos dias.  Saber gerenciar o dinheiro pode ser a chave inclusive para uma vida melhor, mais saudável e livre.

Sem arrodeios, a educação financeira nada mais é do que a capacidade de ganhar dinheiro e administrá-lo da melhor maneira possível, a fim de proporcionar uma melhor qualidade de vida e segurança financeira no futuro. Para fazer isso, temos que ficar atentos a alguns pontos que fazem com que o seu patrimônio cresça rapidamente e se mantenha, são eles: Organizar as contas, Fazer uma Reserva de Emergência e Investir.

Vamos falar sobre cada um desses pontos a seguir:

    Organizar as contas

    Pode até parecer meio óbvio, mas é impossível falar em educação financeira sem falar da organização e do planejamento das contas. Isso envolve saber com o que você vai gastar, saber quais são suas principais dívidas atuais e como negociá-las, e por fim, saber o que você irá fazer nos próximos meses com relação ao dinheiro. Não comprometa tudo o que ganha, controle seus impulsos em gastos que não são necessários no momento, anote todos os gastos fixos que possui, faça uma lista de objetivos e vá reservando o dinheiro necessário para realizar cada objetivo.

      Fazer uma reserva de emergência

    Uma das maiores incertezas de nossa vida é em relação ao futuro. Diante disso, devemos nos preparar para qualquer surpresa que venha a ocorrer em nossas vidas. Ninguém fica esperando acontecer algum problema, mas, é uma possibilidade que em algum momento você já precisou de dinheiro por conta de algum imprevisto e teve que se virar nos trinta para consegui-lo.

    São em momentos assim que ter uma reserva de emergência é extremamente crucial.

    Mas quanto devo poupar? Onde devo poupar?

    A resposta é bastante simples, você deve poupar no MÍNIMO cerca de 6 meses de sua renda FIXA mensal. Lembre-se de que é sua reserva de emergência e não sua conta bancária ou suas férias no fim de ano. Saber separar as contas é essencial, pois como o nome já diz, deve ser usada apenas para emergência.

    Onde deve poupar? A resposta estará no próximo tópico.

    Sendo assim, é extremamente importante adquirir o hábito de poupar o quanto antes.  Lembre-se, você deve se manter preparado para eventuais imprevistos sem precisar comprometer sua renda.

      Investimento

    Existem dois tipos de investimentos: renda fixa e renda variável, e dentro destas existem um mundo de possibilidades para investir. Entretanto, o que abordarei será o investimento mais seguro na atualidade e com o rendimento melhor que a poupança.

    A modalidade que eu estou falando é a TESOURO SELIC (título pós-fixado do tesouro direto), ao qual rende 6,75% ao ano de taxa nominal, ou seja, a inflação não está descontada e mesmo assim ainda tem uma porcentagem muito maior que a do banco. Para deixar mais visível, em 1 ano, 10 mil reais investidos nesta modalidade dá uma diferença de 100 reais a mais comparada a poupança. Lembrando que o rendimento é em juros compostos, ou seja, quanto mais tempo deixar, maior será a diferença e o retorno.

    Por que deixar sua reserva neste investimento?

    Por se tratar de uma reserva de emergência, é essencial que você possa tirar seu dinheiro a qualquer momento, o que é possível nesta modalidade, pois a rentabilidade é diária e ainda tem total segurança por se tratar do governo, ele nunca vai dar o calote em ninguém. Caso isso aconteça, todas as pessoas que investem retirariam seu capital investido e o Brasil não receberia nenhum outro investimento.

     

    Autores: Israel Marcelino, Daniel Rodrigues e Thayane Barros

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×